26/10/2010

Tempo

Acredito vivamente que tudo em nós tem um tempo! Tempo de nascer, brincar, aprender, amadurecer. . . Tempo de abordar e questionar os nossos valores, as nossas ideias e mesmo as crenças. . . Tempo de abdicar, tempo de chorar, tempo de negar, tempo de sorrir, tempo de ser do mundo, e tempo de ser-mos "nossos". Temos também tempo para sofrer e para perdoar . . . 
Ora aquele tempo das (des)ilusões e do choro passou . . . 
Agora é tempo de viver. . . de sorrir, abraçar, beijar . . . 
Tempo de querer o bem, de cuidar, de acarinhar,
tempo de estar em paz . . . "life must go on!"


Agora faz o seguinte: Apanha todos os pedaços que conseguires juntar, e que perdes-te nesse teu passado, nessas tuas andanças e anda comigo . . .

23/10/2010

"Close your eyes
and just hear me say
One last long goodbye
One last song before
you spread your wings.
There's so much left to say
Before this moment slips away.

  .  .  .  .  .  .

The cold night calls
and the tears fall like rain
it's hard letting go
of the one thing I'll never replace.
And soon you will be gone
but these words, they will live on."

by Alter bridge - Wonderful life

Às vezes, parece-me que certas palavras, me beijam, quase como se possuíssem boca.

18/10/2010

Desculpem a foto, nada de egocêntrico! :)  Simplesmente estava com preguiça de procurar uma outra foto.


Há alturas em que eu tenho a ligeira sensação de que certos sorrisos são como ondas que se iniciam no coração, brincam na íris dos olhos e, explodem na boca, abrindo um clarão nos lábios, em todo o rosto . . .

. . . e que nos acompanham para o resto das nossas vidas.

13/10/2010

Um aparte



Voltei partes do filme : " Remember me " e voltei a colar na parte em que ele diz:


"Ele entendeu que aproveitar a vida deve ser uma preocupação muito maior do que entendê-la. E eu também...Não podes saber... Então não leves isto por certo... Mas não leves isso muito a sério... Não adies o que queres... Não deixes nada equivocar-se... Tem a  certeza de que com as pessoas com que tu te preocupas saibam... Tem a certeza de que eles sabem o que tu realmente sentes..."

Por fim, deixo-vos aqui esta música ( antiguinha ), mas sempre boa para os nossos ouvidos :)

 

08/10/2010

Coisas

 Andei sempre sem saber onde parar, onde colocar as minhas mãos, os meus olhos e acabei por ir ter aquela coisa escura lá no fundo do coração. Andei por aí a "cambalear", fazendo-o sempre de forma a ser "invisível" para outros. Era mesmo fraco. Todas as coisas que me doeram na altura tiveram, no fundo, o seu "Q" de positivo. Ao menos agora sou eu próprio, como nunca fui e nunca seria se continuasse a "cambalear" por esses caminhos indefinidos.

 Esqueci muitas caras, muitos nomes e até mesmo cheiros . . . alguns ( poucos ) momentos, deixei que o pó fosse o rei das minhas emoções! Lá acabei por endurecer um pouco, deixei de acreditar em muitas coisas, sobretudo das pessoas e de todas as suas boas intenções. Acho que as marcas ficaram como verdadeiras tatuagens.
Sei que apesar de tudo , haverá sempre alguma coisa que vai faltar e que quando precisar e quiser mesmo, serei novamente capaz de voltar a acreditar e até mesmo capaz de voltar a construir qualquer coisa! Olha até mesmo um castelo!  

Como costuma dizer um doente meu, " A vida é agora, APRENDE!"

21/09/2010

O segredo

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até ti.
No final das contas, irás achar não quem estavas procurando mas sim quem te estava procurando!
Sendo assim, por favor, não percas tempo a pensar em coisas que não interessam, isso irá privar-te de descobrires coisas bem mais interessantes!

Ouviste agora? ;)

07/09/2010

Para ti


Estava a pensar aqui para os meus botões, e lá cheguei!

Porque não fazer um post dedicado ao antigo general e actual 2º Furriel da Milicia Activa dos Meninos da Acta ( MAMA ) ?

Cá fica, ele merece!

04/09/2010

Duarte - Sei que foste eterna numa hora




Eu sei que foste eterna numa hora

Eu sei que foste o nada de um só dia

Lá fora passa a vida sem demora

Janela de uma noite tão vazia


Palavras que ficaram por dizer

Silêncios que trocámos sem olhar

Tristezas são angustia de perder

Desejos que matámos por amar


Andámos à procura sem saber

De coisas que inventámos por acaso

Perdemo-nos os dois quase sem querer

Num tempo que julgámos sem atraso


É estranho... dizes tu do meu caminho

Fugaz... diria eu... foi sempre o nosso

Mas sabes, meu amor, quero estar sozinho

Amar-te uma vez mais eu já não posso.




30/08/2010

Teresa Palmer


Estou cá com uma " coladela de adolescência" nesta actriz, que nem vos conto! ahah
Achei que devia partilhar com os meus poucos ou inexistentes "seguidores"! ( pobres coitados )

25/08/2010

Visto ao espelho

Encantaram-se mutuamente . . .
Afastaram-se misteriosamente . . .

Lá está, eles agora que estão longe, irão viver diversas coisas que não irão comunicar. Então, vão-se distanciando e, quando se encontrarem, irão falar da seguinte forma:
- Olá! Tudo bem? Etc e tal, como é que vão as coisas?
E aí a outra "personagem" irá responder, por cima, superficialmente e, não sei, vai ser uma "proximidade distante".
Não adianta insistir, no momento preciso em que as pessoas se afastam, elas estão irremediavelmente destinadas a perderem-se uma da outra. ( É triste, mas é mesmo assim a realidade!)

Chega dizer que:
Não era a tua hora e
. . .
não era a minha vez!

14/08/2010

"... you don't know how lovely you are,
i had to find you, tell you i need you, tell you i'll set you apart,
tell me your secrets and ask me your questions, oh lets go back to the start...
... tell me you love me, come back and haunt me, oh and i rush to the start..."

Scientist - Coldplay

13/08/2010

O inesperado

Porra!

Não esperava ver-te tão cedo, na verdade, esperava que passasse muito tempo até reencontrar-te.
Este reencontro (in)esperado foi no entanto diferente de qualquer outro que tivemos.
Desta vez, sabia que tanto eu como tu não nos presentearíamos com o nosso melhor sorriso.
Enquanto me aproximava de ti, senti-me pela primeira vez nervoso e inquieto por estares ali.
Tentei ensaiar mentalmente o que te diria.
Imaginei qual seriam as tuas respostas. Tudo numa fracção de segundos.
Tentei prever as tuas reacções e como poderia reagir a elas.
Tudo em vão . . .

Apesar de tudo, foi óptimo voltar a ver-te, e conversar contigo!
Agora, do fundo do coração, espero mesmo, que sejas muito feliz e que cumpras todos os teus sonhos!

De facto, comprova-se que o que os olhos não vêem, o coração não sente!

25/07/2010

20/07/2010



"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."

Fernando Pessoa

29/06/2010

Antigamente

Antigamente todos os contos feitos para crianças terminavam com a tal frase, “e foram felizes para sempre”, sempre, sempre, isto depois de o Príncipe casar com a Princesa e de terem muitos filhos.

Na "vida real", é claro, nenhum enredo remata assim.

As Princesas casam com os guarda-costas, casam com os trapezistas, a vida continua, e os dois são infelizes até que se separam. Anos mais tarde, como todos nós, morrem.

Só somos felizes, verdadeiramente felizes, quando é para sempre, mas só as crianças habitam esse tempo no qual todas as coisas duram para sempre.


03/06/2010

Crónica



É impressionante como de um momento para o outro sentimos que acabamos de perder o pé, que estamos a nadar contra a corrente, à deriva. E à medida que nos vamos esforçando por manter o calor no corpo, esquecemo-nos de procurar o pulso.

O que é certo, é que tudo gira à nossa volta e, na necessidade de acompanhar o movimento, perdemos “aquele” ritmo que nos acelera o coração.
E de repente o esforço que fazemos para tentar respirar deixa-nos de tal maneira exaustos, de repente tudo o que nos parecia tão certo deixa de o ser num abrir e fechar d’olhos e sobramos nós...apenas nós… verdadeiramente sós.

27/05/2010

Should I?


What I've felt
What I've known
Turn the pages
Turn the stone
Behind the door
Should I open it for you?



23/05/2010

Pois

"Eu não sou como muita gente: entusiasmada até à loucura no princípio das afeições e depois, passado um mês, completamente desinteressada delas. Eu sou ao contrário: o tempo passa e a afeição vai crescendo, morrendo apenas quando a ingratidão e a maldade a fizerem morrer."

Florbela Espanca

20/05/2010

E a vontade de ontem...


REALIZOU-SEEEE!!!!


Como me sinto melhor... :) oh ih oh ai!


If you chose to walk away I'd still be right here waiting...

19/05/2010

O verão veio mais cedo... ou não ...

Porra que CALOR!!!! 31ºC às 19 horas??? Pensava eu que só as pessoas andavam loucas, o tempo também está a ficar, sinais de modernidade!
Ai, neste momento em vez de ter que trabalhar no projecto e estudar para as frequências que estão a chegar aos "montes", gostaria de estar na praia a apanhar sol! E quando me sentisse demasiado tostado ia dar um mergulhinho no mar... só de imaginar, até cai bába!

17/05/2010

Why do I desire
What I do not need?
Why does my soul, like fire,
Or a hot abstract greed,
Seek all that is higher?

12/05/2010

I see the world through you - David Fonseca

Frequência amanhã, e coize!!! Está difícil "incorporar esta porra". . . Mas a esperança, morre por último :)

Deixo-vos com a música que mais tenho ouvido nestes últimos dias! Lindíssima! No marés vivas, vou ver o Sr.David Fonseca na fila da frente! Seja "ceguinho"!!!

Uma boa noite a todos!

"You don’t understand me now,
I wonder if you ever will,
I wonder if you’ll ever try.
Don’t get sad about,
All the strange thing I wrote,
They faded as the ink dried…"

PUff

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

Bem já chega, já me expressei!

11/05/2010

Um dia


Haverá ( ??? ) um dia em que me irei aperceber que preciso de ir mais longe do que tenho ido até então, e vou precisar de saber de que vou chegar lá.
Mas o mundo e as pessoas irão negar-me essa viagem mas eu não vou ligar e irei continuar a lutar, como sempre, contra os obstáculos que vêm na minha direcção, e aí, não me vou mexer. Vou esperar. Inspirar Fundo.Expirar fundo e esconder as lágrimas. Negar a tudo o que me poderia mover.
E então, a leve sucessão dos dias irá impressionar-me e esmagar-me contra uma realidade que não vou querer aceitar, mas há um dia em que tento... tento... e tento. Esqueço as frustrações e recuso tudo o que em tempos me desiludiu, me apagou, tento e acredito que vou conseguir. Esticarei a minha mão e ficarei surpreendido com o alcance do meu braço…

02/05/2010



No MÍNIMO, a ausência irá ter um efeito em mim: O de provocar a saudade.

No MÁXIMO, irá fazer com que, me habitue a essa saudade...

28/04/2010

Five for fighting - Chances



"Chances are when said and done
Who'll be the lucky ones
Who make it all the way?
Though you say I could be your answer
Nothing lasts forever
No matter how it feels today..."

Apenas uma história

Li no blog 8ito ou 8itenta ( http://oitoouoitenta.blogspot.com ) e não resisti em colocar aqui!

"À medida que se a próxima de casa a chuva ameaça começar a cair, mostrando-se através de uns esporádicos pingos mais atrevidos. Já na rua onde mora vê a silhueta de um homem ali perto, num canto mais escuro. Esforça-se por manter a cadência do seu passo, para não dar a entender algum incomodo ou receio, à medida que pega logo na chave da porta, para perder o mínimo de tempo a entrar.
Quando se encontra a 5 metros da porta de casa o homem sai do abrigo que lhe proporciona a sombra e deixa-se ser visto. Dá dois passos na direcção dela e pára, à medida que baixa o capuz que lhe cobria a cabeça.


- Tu? - diz ela com um ar surpreso, mas aliviada ao mesmo tempo por ser alguém conhecido, para questionar logo de seguida - …mas que fazes aqui?


- Estava pelas redondezas e lembrei-me de vir perguntar se querias ir tomar um café.


- A sério? Mas… mudaste-te para cá, vieste em trabalho??


- Não, continuo por lá. Simplesmente saí do trabalho, peguei no carro e lembrei-me que talvez quisesses ir beber um café comigo.


- Saíste do trabalho…? Mas são 300 kms!!


- Eu sei…


Ele começa então a mostrar alguns sinais de nervosismo, uma mão bem fundo no bolso das calças ao encolher os ombros e a outra mão a refugiar-se na nuca, um ligeiro pontapé numa pedra que encontrou pelo chão enquanto desviava o olhar para o chão para tentar não mostrar esses mesmos sinais. Balbuciou um pouco, estremeceu mais, e hesitou mas lá continuou a falar.


- …sabes, há muito tempo que reparei em ti. Lembro-me perfeitamente da primeira vez que te vi, com a cara pintada, a roupa suja e um sorriso de quem estava a adorar as brincadeiras que lhe pregavam. Durante uns tempos vi-te com as tuas amigas a divertirem-se e o sorriso de quem estava feliz. Depois desapareceste por uns tempos. Passados uns anos, por força do trabalho voltaste a entrar nos meus horizontes, começámos a falar e quase vivia para ver o teu sorriso todos os dias. E agora vieste embora e sinto falta do teu sorriso… por isso vim perguntar-te… se querias ir tomar um café comigo.


- Mas como deste com o sitio onde moro?


- Foi complicado. Tive de fazer uns quantos telefonemas, ficar a dever alguns favores… ninguém me conseguiu dizer a morada exacta, o melhor que consegui foram umas indicações. Mas vi ali o teu carro estacionado e esperei que pudesses aparecer.


- Pois. Não leves a mal, até ia tomar café contigo mas tenho planos.


- Ah. Pois… claro, devia ter telefonado antes. Tens planos… fica para outra oportunidade, então.


- Pois. Para outra oportunidade.


E ele voltou-se, cabeça a mirar as pedras que pisava em direcção ao seu carro, sem olhar para trás. Entrou no carro e nesse instante começou a chover como há muito não se via. Ali ficou, uns 5 minutos, com as mãos na parte superior do volante e a cabeça pousada sobre as mãos. Ligou o carro e arrancou de volta a casa, para os longos 300kms do regresso, para os quais não teve a mínima pressa, enquanto pensava na triste figura que tinha acabado de fazer.
Chegou a casa já madrugada alta, depois da mais demorada viagem de 300kms que tinha feito. A chuva não parava de cair, agora de forma menos severa, complacente com a tristeza que percorria todo o corpo daquele homem devastado. Estacionou o carro e encaminhou-se para a sua vazia casa. Meteu a chave na fechadura e atrás de si ouve uma voz.


- Olá.


Virou-se e ali estava ela, encharcada dos cabelos aos pés e com o sorriso que ele tanto admirava.


- Tu, aqui? Mas não tinhas planos?, perguntou ele.


-Telefonei à minha tia a desmarcar. Disse-lhe que tinha de ir ter com a minha vida.


Nesse instante ela pegou-lhe na mão e perguntou:


- Tens café?


"


. . . .

17/04/2010

Jasus, como eles andam!



Sinto-me assim neste momento! Mas que raio de mundo é este! O que é feito da sanidade das pessoas???Onde anda ela? Arggg


Bem vou voltar ao meu "mundinho"...

Deixo para finalizar uma frase:

"Tenho paciência e penso: todo o mal traz consigo algum bem."

Ludwig Beethoven

12/04/2010

What if you

"Catch and release" - Uma história bonita, que mostra, que por vezes as oportunidades estão nas nossas mãos, e nós deixamo-las voar e depois quando nos apercebemos disso, já pode ser tarde! Neste filme a história teve um final feliz e que belo final... aquela frase curta e simples no fim disse tudo!

Deixo aqui uma das músicas desse filme.

What if you - Joshua Radin



Uma boa semana a todos!

05/04/2010

ADEUS, não fostes os teus olhos dos meus


(...)
Quando acordas
Porque quem chamas tu?
Vou esperar
Eu vou ficar
Nos teus braços
Eu vou conseguir fixar
O teu ar
A tua surpresa

Adeus
Não afastes os teus olhos dos meus
Eu vou agarrar este tempo
E nunca mais largar

(...)

Vou conseguir

Adeus
Não afastes os teus olhos dos meus
Vou ficar para sempre neste tempo
Eu vou conseguir para-lo
Eu vou conseguir guarda-lo
Eu vou conseguir ficar

Letra de David Fonseca

24/03/2010

Mais um dia...



Depois de um dia com problemas a mais, resolvidos no fim do dia com "pica a mais"... deixo-vos aqui uma frase inspiradora do meu caro amigo Oscar Wilde...

"Um sonhador é aquele que só ao luar descobre o seu caminho e que, como punição, apercebe a aurora antes dos outros."




P.S.: Espero que não ande aí a Judiciária da literatura Portuguesa ( eh eh ) para vir para aqui apontar erros e etc's coizos!

Uma boa noite a todos vós e a mim também, é claro!

21/03/2010



"- Escrever não é falar.
- Não? Qual é a diferença?
- É exactamente o oposto. Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque já não te resta nada para dizer.
(...)
E, escrevendo, poupei as coisas que gostaria de te ter dito e que gostaria que tivesses ouvido."

Miguel Sousa Tavares - "No teu deserto."

18/03/2010

Ao fundo ouve-se o mar




"Agora
Que a chuva cai devagar
Lá fora
E a noite vem devorar
O sol
E tudo fica em silêncio
Na rua
E ao fundo
Ouve-se o mar
(...)
Agora
Talvez te possas perder
Devora
O que a saudade te der
A vida
Leva pra longe pedaços
Do tempo
Deixa o sabor de um regaço
(...)
Agora
Que a água inunda os teus olhos
E o mundo
Já não te deixa parar
No escuro
Voltam as histórias perdidas
Na alma
Onde não podes tocar
E ao fundo
Ouve-se o mar."


Mafalda Veiga, "ouve-se o Mar"

( Quanto à música, sinceramente, não a acho nada de especial, mas a letra ... huff é qualquer coisinha meus amigos! )

15/03/2010

Perdido no tempo




Todos nos queixamos de estarmos "limitados" de tempo! Mas caso, façam uso da cabecinha, apercebem-se que,de facto, nós temos algum tempinho... no entanto, o tempo não "espera", quase sempre passa sem aviso. 20 dia,20 semanas,4 anos, 50 anos... O tempo é apenas tempo. É areia que nos foge das mãos, quando a tentamos agarrar.
E apesar do que disse antes, a verdade é esta e só mesmo esta, não temos, de todo, muito tempo!
Enquanto continuarmos a cometer a tolice de ir vivendo as nossas vidas como se vivêssemos para sempre, a nossa vida estará sempre às escuras, perdida , à espera de um acto de coragem que lhe dê cor e sentido.
Ora eu sinto que estou a precisar disso... dar cor e sentido à minha vida!

06/03/2010

Acreditar, lutar e ... nunca mais largar!

Por vezes sentimos bem dentro de nós, que não estamos a agir da melhor forma, que nos estamos a “desleixar” de tudo o que nos rodeia.

Por vezes sentimos mesmo que devemos fazer qualquer coisa como plantar uma árvore, mesmo com a “tal” incerteza de que nem sempre poderemos comer os seus frutos, nem descansaremos à sua sombra. Ou descobrimos que devemos aplicar-nos não tanto ao nosso pequeno problema, mas a reconstruir as ruínas imensas que nos rodeiam.

Revolta-me o “dia de hoje”. Pois em toda a nossa volta a mentira é poderosa, e pobres daqueles que compreenderam a verdade tal e qual como ela é, e “amaram-na”, inocentes e inconscientes de tudo o que os rodeava... Pobres daqueles que procuraram e escavaram, inclusive desejaram a sorte para si mesmo e para os seus. Depois disso, limitaram-se a sofrer, e continuaram, calados com esse amor e com essa dor.

Quem vive para a família é habitado por ela e torna-se maior. Aliás faz o que nunca faria se vivesse para si mesmo. Foi isto que me ensinaram. Hum!?! Sinto que não tenho seguido estes ensinamentos. Tenho vivido para o NADA. Nem para mim mesmo eu vivo!

Quando perguntavam ao alpinista português João Garcia o porque dele desejar escalar o mais alto ponto dos Himalaias, ele respondeu: “ Porque ele está ali!”. Resposta simples hein? Pois eu cá interpreto de outra forma, para mim ele queria dizer com isso a naturalidade do encontro do homem com o seu sonho, com a sua tarefa, consigo mesmo o realizar de objectivos, etc.

É triste viver sem grandeza, como se vive hoje, como eu vivo hoje. É como estar longe de nós mesmos, é como termos perdido o nosso espírito nas grutas anteriormente percorridas. É ver apenas as sombras do mundo e da vida. É, de algum modo, não viver…

As coisas grandes são aquelas que o amor nos leva a fazer, e muitas vezes realizam-se por meio de pequenos gestos. Há muito que eu e muitos outros perdemos estes pequenos gestos, agora não passam de “pegadas perdidas na areia”. Fazem-se pisando os nossos apetites e gostos, abandonando o cómodo estojo no qual temos tendência a encerrar a nossa existência.

Num dia qualquer que irá chegar, como o de hoje, sabemos que teremos de partir, que termos de fazer da vida uma outra coisa… só isso, só mesmo isso, e partimos… Eu tenho que abrir os olhos e aperceber-me disso mesmo!!!

Continuando…

Deverá ser extremamente difícil subir ao ponto mais alto da montanha. Para isso deverá ser preciso trocar tudo o que até agora tínhamos pelo instante mágico de chegar ao cume da montanha. Ali tudo será radicalmente verdadeiro: não é possível fingir que se vai a caminho. Deixam-se as forças na íngreme escalada, rasga-se a pele nos rochedos, abandona-se o aconchego do calor do corpo ao vento e à neve e ao gelo. Caímos e apetece-nos ficar por ali. Por vezes não sabemos se conseguimos dar mais um passo. Mas temos que lá chegar! Eu quero ser assim!

Mas deve ser tão bonito! Tão único! Tão perfeito! Só ali se deve conseguir respirar verdadeiramente. Só ali se deverá ver todas as coisas com o seu verdadeiro relevo e com as suas cores verdadeiras. Só ali um homem se sentirá realmente “rico”!

Dizem que as amizades que se fazem na “montanha duram para sempre: nasceram da magra ração repartida debaixo das estrelas, de se apoiarem uns aos outros quando o que estava em jogo era a vida ou a morte, de cantarem juntos, das longas confidências testemunhadas apenas pelo vento.

Na “montanha” os amigos não são descartáveis companheiros de divertimento, como hoje em dia 90% deles são!

Não, não, não, na “montanha” eles precisam mesmo uns dos outros, fazem parte uns dos outros, uns são os outros.
Os que ficaram lá em baixo chamam-nos loucos. Encolhemos os ombros: esses queridos estão vivos, mas ainda estão mortos. Uma pessoa não vive quando vive apenas para si mesma, quando se acha que é a pessoa mais consciente, mais madura, mais realista. Eu cá acho que não se vive sem sal, sem risco, sem aventura, sem irrealismo, sem sonhos, sem vontades. Sabem acho que eles estão a precisar de uma inundação de alegria e de “irrealismo”.

E quanto a ti? Ora, eu quereria que partisses. Não necessariamente de um lugar para outro, não necessariamente para um lugar mau, pois não desejo isso a ninguém, mas sim, para fora de mim! Para onde tu mais quiseres, para onde também precisam de ti, para que talvez te possas encontrar e aperceber…

Tal como tu… eu talvez também precise de partir para um outro lugar, para um lugar onde precisem de mim, para um lugar onde talvez me possa encontrar…

…e aí realizar os meus sonhos “irrealistas”!!


"É erro vulgar confundir o desejar com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os."
Alexandre Herculano


P.S.: Peço desculpa pelo tamanhão do texto.

25/02/2010

Kimochi

( foto retirada do site Olhares.com )



"Foi um momento
O em que pousaste
Sobre o meu braço
Num movimento
Mais de cansaço
Que pensamento,
A tua mão
E a retiraste.
Senti ou não?"


( Senti )

Doente


Vá lá, que ao menos com este "temporal" posso-me ficar pelo quentinho da minha cama!
Vamos lá ver se isto passa, para que possa ir à Serra!
Um bom dia de trabalho/estudo para todos!

Portem-se mal!

18/02/2010

Never give up


"Um timoneiro que se preze continua a navegar mesmo com a vela despedaçada."

Séneca



Music:
Call me on your way back home - Ryan Adams

17/02/2010

Incomplete



Toda a gente, sem excepção, tem momentos em que se sente assim... Incompleto!

15/02/2010

Carnaval 2010

Desejo a todos um óptimo Carnaval!

Divirtam-se e cuidado, elas andam aí! :) ( Já foste! )








E agora para as minhas caras amigas que visitam este blog também vos deixo algo para dar um cheirinho de carnaval... :) Também merecem né?





Ah, ja me esquecia!!!

Parabéns JUJINHA!!! Vai ser de caixão à cova hoje!